A Secretária Geral da Academia Brasileira de Letras, Acadêmica e escritora, Nélida Piñon, recebeu formalmente o título de nacionalidade espanhola na quinta-feira, 13 de janeiro. O ato foi no Consulado da Espanha no Rio de Janeiro e contou com a presença do Cônsul Geral da Espanha, Luis Prados Covarrubias. Na ocasião, a Acadêmica assinou os documentos, fez o juramento e destacou a importância de receber a cidadania espanhola:

“Hoje eu sou a brasileira que sempre fui e adicionei, a essa minha maravilhosa nacionalidade brasileira, a nacionalidade espanhola e passo a pertencer à União Europeia. Quando penso em Espanha, penso em seus grandes mortos. Cervantes, por exemplo (…) Penso nos meus mortos, no meu avô Daniel, na minha avó Mada, na minha mãe Carmen, no meu amado pai, Lino. Penso em Cotobade, Galícia, Burela. Penso num mundo hispânico, que é poderoso, com a sua língua universal que Nebrija* consagrou.”

A Acadêmica está intimamente conectada à Espanha: seus pais e avós foram emigrantes galegos no Brasil. O município de Cotobade, na região da Galícia, é onde seu pai nasceu.

Em 1996-1997, Nélida Piñon tornou-se a primeira mulher na história a presidir a Academia Brasileira de Letras. Entre suas obras mais importantes, destaca-se « A República dos Sonhos » (1984), que narra o êxodo em massa dos emigrantes galegos para a América Latina.

Dentre os muitos prêmios e reconhecimentos recebidos pela Acadêmica, podem ser destacados alguns deles relacionados à Espanha e ao mundo hispânico: Prêmio Príncipe de Astúrias, Prêmio Rosalía de Castro e o Prêmio Internacional Menéndez Pelayo. A escritora é Membro de Honra da Real Academia Galega, Membro Correspondente da Academia Mexicana de la Lengua, Embaixadora Ibero-americana da Cultura e Conselheira do Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Salamanca.

*Filólogo espanhol, autor da primeira gramática da língua castelhana e do primeiro dicionário espanhol.

Discurso da Acadêmica Nélida Piñon

 

[Fonte: http://www.academia.org.br]